Logo 2020.png
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon
 
Paraná
Bot%2525C3%252583%2525C2%2525A3o_Voltar_

Parque Nacional do Iguaçu

 

Dirigido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão federal responsável pela gestão das Unidades de Conservação do Brasil, o Iguaçu é exemplo de integração entre a conservação e o uso sustentável dos recursos naturais.O Parque nacional do Iguaçu, criado em 1939, pelo Decreto N° 1.035, abriga o maior remanescente de floresta Atlântica (estacional semidecídua) da região sul do Brasil.

 

O Parque protege uma riquíssima biodiversidade, constituída por espécies representativas da fauna e flora brasileiras, das quais algumas ameaçadas de extinção, como onça-pintada (Pantheraonca), puma (Puma concolor), jacaré-de-papo-amarelo (Caimanlatirostris), papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea), gavião-real (Harpia harpyja), peroba-rosa (Aspidospermapolyneutron), ariticum (Rolliniasalicifolia), araucária (Araucariaaugustifolia), além de muitas outras espécies de relevante valor e de interesse cientifico.

 

Essa expressiva variabilidade biológica somada à paisagem singular de rara beleza cênica das Cataratas do Iguaçu, fizeram do Parque Nacional do Iguaçu a primeira Unidade de Conservação do Brasil a ser instituída como Sítio do Patrimônio Mundial Natural pela UNESCO, no ano de 1986.

 

Unido pelo rio Iguaçu ao Parque Nacional Iguazú, na Argentina, o Parque integra o mais importante contínuo biológico do Centro-Sul da América do Sul, com mais de 600 mil hectares de áreas protegidas e outros 400 mil em florestas ainda primitivas, responsabilidade ímpar para ações conjuntas entre brasileiros e argentinos nos esforços de preservação deste tão importante patrimônio mundial.Para apreciar as cataratas do Iguaçu em toda sua magnitude, visite o Parque Nacional do Iguazú, na Argentina.

 

Cataratas do Iguaçu

 

A palavra Iguaçu significa "água grande", na etimologia tupi-guarani. As Cataratas são formadas pelas quedas do rio Iguaçu. Dezoito quilômetros antes de juntar-se ao rio Paraná, o Iguaçu vence um desnível do terreno e se precipita em quedas de até 80 metros de altura, alcançando uma largura de 2780 metros. Sua formação geológica data de aproximadamente 150 milhões de anos, porém a formação do acidente geográfico das cataratas se iniciou a aproximadamente 200 mil anos.

 

O rio Iguaçu mede 1200 metros de largura acima das cataratas. Abaixo, estreita-se num canal de até 65m. A largura total das Cataratas no território brasileiro é de aproximadamente 800m e no lado argentino de 1900m. A altura das quedas varia de 40 a 80 metros.Dependendo da vazão do rio, o número de saltos varia, atingindo um numero superior a 100 nos períodos de média vazão.

 

A vazão média do rio fica em torno de 1.500 m3 por segundo, variando de 500 m3/s nas ocasiões de seca a8.500 m3/s nas cheias.O volume maior de água ocorre entre os meses de outubro a março.

 

Os principais saltos são 19, cinco deles do lado brasileiro (Floriano, Deodoro e Benjamin Constant, Santa Maria e União) e os demais no lado argentino. A disposição dos saltos, com a maior parte deles no lado argentino e voltados para o Brasil, proporciona a melhor vista para quem observa o cenário a partir do Brasil.

 

Lenda das Cataratas

 

Conta-se que os índios Caigangues, habitantes das margens do Rio Iguaçu, acreditavam que o mundo era governado por M'Boy, um deus que tinha a forma de serpente e era filho de Tupã. Igobi, o cacique dessa tribo, tinha uma filha chamada Naipi, tão bonita que as águas do rio paravam quando a jovem nelas se mirava.

 

Devido à sua beleza, Naipi era consagrada ao deus M'Boy, passando a viver somente para o seu culto. Havia, porém, entre os Caigangues, um jovem guerreiro chamado Tarobá que, ao ver Naipi, por ela se apaixonou.

 

No dia da festa de consagração da bela índia, enquanto o cacique e o pajé bebiam cauim (bebida feita de milho fermentado) e os guerreiros dançavam, Tarobá aproveitou e fugiu com a linda Naipi numa canoa rio abaixo, arrastada pela correnteza.

 

Quando M'Boy percebeu a fuga de Naipi e Tarobá, ficou furioso. Penetrou então as entranhas da terra e, retorcendo o seu corpo, produziu uma enorme fenda, onde se formou a gigantesca catarata.

 

Envolvidos pelas águas, a canoa e os fugitivos caíram de grande altura, desaparecendo para sempre. Diz a lenda que Naipi foi transformada em uma das rochas centrais das cataratas, perpetuamente fustigada pelas águas revoltas.

 

Tarobá foi convertido em uma palmeira situada à beira de um abismo, inclinada sobre a garganta do rio. Debaixo dessa palmeira acha-se a entrada de uma gruta sob a Garganta do Diabo onde o monstro vingativo vigia eternamente as duas vítímas.

 

Informações ao visitante:

 

Horários de atendimento:

 

A visitação ocorre diariamente (inclusive domingos e feriados) das 09h00 às 17h00.

 

Não é permitida a entrada de veículos particulares no interior do Parque: o visitante deverá deixa seu veículo em local seguro ou no próprio estacionamento do Parque e utilizar o serviço de transporte da concessionária no interior da Unidade de conservação. O transporte é realizado através de  ônibus panorâmicos, permitindo que o visitante aproveite cada momento do passeio. O valor do transporte já está incluso no preço do ingresso.

 

O estacionamento oficial do Parque é seguro e com excelente comodidade. O valor da taxa de estacionamento é de R$ 15,00 por veículo (carros e motos). A cobrança é única e o horário para pagamento da taxa  é das 09h00 às 17h00.

 

Importante: A taxa de estacionamento deve ser paga na entrada do parque, no momento da compra do ingresso, nas bilheterias do Centro de Visitantes.

 

Compra de ingresso

 

O pagamento é feito na bilheteria, em dinheiro ou cartão de débito/crédito (Visa, Master e Amex). Também é possível comprar o ingresso pela internet.

 

Organize sua visita, conheça as opções de passeios

 

No Centro de Visitantes, está disponível um balcão de informações turísticas. Informe-se de todos os passeios, podendo comprar seus ingressos antecipadamente.

 

Recomendamos

 

•Beba muita água para hidratar-se;

• Use sempre protetor solar;

• Para evitar os insetos, passe repelente com frequência;

• Utilize capas de chuva. Nas Cataratas há constantemente uma leve garoa;

• Use roupas e calçados apropriados para caminhada;

• Todos esses artigos estão disponíveis nas lojas de lembranças do parque.

 

Respeite as normas do parque

 

•Mantenha-se nas trilhas pré-determinadas, não use atalhos;

• Jogue o lixo nos locais adequados ou encontre uma forma de acondicioná-lo para trazê-lo de volta.

• Não alimente os animais. Observe-os a distância.

• Ande em silêncio, preservando a tranquilidade e a sensação de harmonia que a natureza oferece;

• Animais, plantas, rochas, frutos e sementes encontrados no local fazem parte do ambiente e nele devem permanecer.

• Tire apenas fotografias; deixe somente leves pegadas; e leve para casa imagens na sua memória.

• Tenha cuidado com os quatis quando estiver consumindo alimentos. Apesar de estarem habituados com a presença humana, eles podem atacar em busca de comida. Esses animais podem transmitir a raiva humana, doença infecciosa aguda e mortal, transmitida por meio da mordida, arranhões ou lambedura do animal contaminado com o vírus.

 

Visite o Parque Nacional do Iguazú, na Argentina

 

Para apreciar as Cataratas do Iguaçu em toda sua magnitude, visite o Parque Nacional do Iguazú, na Argentina. O passeio é diferente e complementar. Vale a pena!

 

Os ingressos do Parque Nacional Del Iguazú só podem ser pagos em pesos argentinos. Para cruzar a fronteira, é obrigatório ter um destes documentos em mãos: cédula de identidade, carteira de motorista, ou passaporte.

Informações sobre o turismo na cidade de Foz do Iguaçu liguem para: 0800 45 15 16

 

Aguardamos sua visita!

 

Fonte: Cataratas do Iguaçu S/A - Mais informações: http://www.cataratasdoiguacu.com.br/portal/

 

Agradecimento: ICMBio

Empresas parceiras que colaboraram para a realização do destino: Foz do Iguaçu