Logo 2020.png
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon
 
Alagoas
Bot%2525C3%252583%2525C2%2525A3o_Voltar_

Maceió



Capital de Alagoas. O verde contagiante dos coqueiros que dominam toda a orla praiana pode ser apreciado de longe, em uma das jangadas de velas coloridas que levam você às famosas piscinas naturais formadas na praia da Pajuçara. Museus, teatros, igrejas, bairros, históricos, artesanatos, gastronomia diversificada completam esse cenário inesquecível.



Maceió, cidade com 40 Km de litoral e 22 Km de lagoa e canais, desperta paixão pelas belezas naturais, culturais e históricas.



Belíssimas praias de mar que tem tonalidades que oscila do azul e verde, com piscinas naturais a 02 km da costa.



Praias emolduradas por coqueirais, um realce à ornamentação natural das paisagens. O coqueiro é expressivo na cultura e na história de Alagoas. Contribui com o desenvolvimento econômico; faz parte da culinária típica, tem representatividade no artesanato e na tradição popular.



Maceió passou a ser capital de Alagoas em 1839.  Hoje com aproximadamente Um milhão de habitantes; ocupa uma área de 511 mil Km quadrados, e uma temperatura média é de 26 graus centígrados.



 Maceió foi proveniente de um engenho de cana-de-açúcar que tinha o nome de Maçai-ok, no século 18, daí a origem do nome que significa “o que tapa o alagadiço”.



Os revitalizados bairros de Jaraguá e Centro preservam um conjunto arquitetônico, acervos e originalidade de uma época que retratam a história da cidade.



Jaraguá, Tombado pelo Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Alagoas, representa o berço da história e desenvolvimento de Maceió. O cenário conserva a imponência de uma época através de seus armazéns, casario e igrejas. É um bucólico bairro que nos faz viajar no tempo.



O potencial cultural, representado nas manifestações folclóricas, diversificado artesanato, excelente rede hoteleira, restaurantes nacionais e internacionais, Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, Centro Cultural e de Exposições e o Porto de Jaraguá, associados aos serviços de qualidade, fazem parte da infra-estrutura turística que satisfaz as expectativas de quem visita Maceió.



Maceió tem o Pontal da Barra, bairro que abriga uma comunidade de pescadores e artesãos as margens da Lagoa Mundaú.



O artesanato, exposto nas portas das casas, é confeccionado pelas rendeiras, que tecem o Filé, renda tipicamente alagoana e ocupa importante posição na economia da comunidade.



Na Lagoa Mundaú os pescadores retiram o sururu, um molusco que se destaca na gastronomia alagoana.



O local é ideal para passeios de barcos que entre ilhas navegam indo em direção ao encontro com o mar.



Gastronomia



A gastronomia alagoana seduz o paladar dos visitantes. São pratos feitos com diversos ingredientes e os mais nobres frutos do mar. Os restaurantes oferecem cardápio diversificado, com opções da culinária regional e internacional.



O serviço gastronômico é de qualidade, oferece cardápios com produtos do mar, dos rios e lagoas. O sururu, por exemplo, encontrado nas lagoas, é um molusco preparado à base do ingrediente da terra: leite de coco.


O coqueiro está presente em todo o Estado, ornamentando o litoral alagoano e proporcionando aos alagoanos e visitantes sombra e água fresca. A água-de-coco gelada é uma delícia. Do fruto do coco se extrai o leite para realçar o sabor dos pratos à base de frutos do mar e também para o fabrico de doces e cocadas, sobremesas deliciosas da culinária alagoana.



Além da culinária típica de Alagoas, existem outras opções gastronômicas para conquistar o paladar dos visitantes. Pratos da comida japonesa, peruana, portuguesa, italiana, francesa e chinesa, constam no cardápio dos restaurantes da cidade.  

A culinária também se destaca pela variedade dos pratos da comida regional, a exemplo de carne-de-sol com fava ou feijão verde, feijoada, galinha ao molho pardo, picanha grelhada ou na chapa, pernil, bisteca, frango assado e as nobres carnes de avestruz e de búfalo, uma atração à parte.

Para acompanhar as refeições, deliciosos sucos de laranja, acerola, mangaba, graviola, caju, goiaba, maracujá, pinha entre outros, e para sobremesa, doces de frutas tropicais.



O camarão, peixe, carapeba, siri, polvo e outros frutos do mar ou das lagoas fazem parte do cardápio, como, por exemplo, o sururu, molusco extraído das lagoas. A receita pode ser ao molho de coco ou cozinhado na água e sal (Sururu de Capote) e servido com casca. Do caldo é feito o pirão, acompanhado com arroz.



Variedades de quitutes especiais são os doces e bolos de tabuleiros encontrados em Riacho Doce. São produzidos no forno à lenha e alguns embalados com folhas de bananeira, como pé-de-moleque, brasileiras, bolos de milho, macaxeira e massa puba. Pode ser escolhida, comprado e degustado nas portas das quituteiras que mantém, há décadas, essa tradição no litoral Norte de Maceió.



Não podemos deixar de destacar as tapiocas, encontradas na orla das praias de Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca.  São feitas na chapa quente, servidas na hora, e o cliente escolhe o sabor do recheio. A tradicional tapioca é apenas feita com a goma e recheio de coco ralado.



Costa dos Corais



Pratos como moqueca de peixe, camarão no alho e óleo, lagosta temperada com azeite, siri na água e sal, maçunim ao leite de coco, lagosta cozida, lula e polvo acompanhado de vinagrete, fazem parte dos cardápios dos restaurantes de grande porte ou dos singelos e típicos do litoral norte, conhecido como Costa dos Corais. Um elemento típico da região é o bolinho de goma em forma de concha, chamado de sequilho.


Uma boa opção gastronômica são os ambientes sofisticados, confortáveis e aconchegantes dos restaurantes das pousadas de charme, que disponibilizam serviços personalizados e deixa o paladar do turista mais exigente.



Lagoas e Mares do Sul



O sururu, caldeirada, moqueca de mariscos, fritada de siri, maçunim ao coco, carapeba frita, camarão, polvo, patinha de uçá, siri, ostras, agulhinha frita, caranguejo, guaiamum são as atrações gastronômicas dessa região tão rica de mar, rios e lagoas.



Como sobremesa, uma tentação são as cocadas ou os doces de frutas variadas: mamão, caju, jaca, goiaba, abacaxi, que podem ser degustados com queijo tipo coalho ou manteiga, uma combinação saborosa.


Nessa região do litoral Sul de Alagoas está localizado o maior pólo gastronômico do Nordeste – Massagüeira --, às margens da lagoa Manguaba, distante 15 km de Maceió, onde a beleza do lugar compete com o paladar.


Cidades do Rio São Francisco


Cidades do Sertão alagoano, margeadas pelo Rio São Francisco, tem na tradicional culinária regional seu ponto forte: pratos exóticos como a buchada de bode, sarapatel, charque na brasa com fava, galinha guisada ou ao molho pardo, macaxeira com carne sol e outras delicias da cozinha sertaneja.



Nos municípios ribeirinhos, o pitu é o carro-chefe da culinária. É um tipo de camarão grande extraído das águas do Rio São Francisco. A Pituzada é feita ao molho de coco, acompanhada de pirão e arroz, prato muito apreciado pelos nativos e visitantes.



Quilombos



A gastronomia da região quilombola é bastante diversificada. A feijoada é um exemplo da época da escravidão  e o  preparo das iguarias  preserva a tradição da época da Civilização do Açúcar. Outro prato bastante apreciado é o Pitú, um tipo de camarão grande extraído em abundância nos rios da região.



Fonte: Secretaria de Turismo de Alagoas

Empresas parceiras que colaboraram para a realização do destino: Alagoas
Agradecimentos:
Logo Gol.jpg
logoLivre.png

Todos os direitos reservados. É proibida a cópia e/ou reprodução das fotos sem a autorização do autor, de acordo com a Lei 9610/98 dos Direitos Autorais.